Cálculo matemático mostra qual a altura que seu filho ou filha pode alcançar

  

 
 
 
visitasVisualizações
       

          04/03/2017  às 10h 20

 

 

 

  É possível calcular a altura que seu filho, ou filha pode alcançar? Sim é possível. Uma pesquisa realizada pelo instituto Espaço Aberta Saúde mostra por que algumas pessoas crescem mais do que outras e como identificar se uma criança se desenvolve de maneira saudável.

Com a ajuda da Matemática os médicos utilizam um cálculo que apontam a altura que a criança pode alcançar na fase adulta. A fórmula é chamada de altura-alvo, que é a altura do pai somada a altura da mãe, dividido por dois. Para calcular a altura-alvo e um menino, é preciso somar 13 a altura da mãe. E, para calcular a da menina, é preciso subtrair 13 da altura do pai. Treze centímetros é a diferença entre homens e mulheres. Veja abaixo:
 


O crescimento normal é definido com base em levantamento estatístico e estabelece uma altura mínima e máxima para meninos e meninas, de cada idade. A altura dos meninos de 10 anos, por exemplo, fica entre 1,29m e 1,43. Os pais devem procurar um médico quando a altura da criança estiver abaixo ou acima deste intervalo. Filhos baixinhos de pais altos e filhos grandes de pais pequenos são sinais de alerta. O nanismo e o gigantismo são doenças do crescimento. O último, por exemplo, pode levar a problemas na coluna, como cifose e escoliose.

   

 

 

 

Valdivino Sousa é Professor, Matemático, Contador, Bacharel em Direito e Escritor.  Pesquisador sobre Engenharia Didática em Matemática; Modelagem; Construção do Conhecimento em Matemática;   Modelos Matemáticos e suas Aplicações. 

Site: http://www.valdivinosousa.mat.br

 

 

 

 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COMENTE

 

   
 

 

 

 

Tags
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

       

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É permitida a reprodução total ou parcial de textos, matérias e fotos publicados
em outros sites, blogs,  revistas ou jornais, desde que cite a fonte.

 

 

                                                                            Copyright Coluna Você na Mídia. Todos os direitos reservados.