O papel central da matemática em nossas vidas

Conhecida como “a ciência das ciências” ou mãe de todas as outras ciências, a Matemática tem tantas definições quanto aplicações, e é tão útil quanto prazerosa. Ela explora o raciocínio lógico e abstrato, e é usada como ferramenta essencial em incontáveis áreas do conhecimento humano, como a Física, Biologia, Química, Engenharia, Economia, Administração de negócios, Artes, Agricultura e até a Medicina. Ela está tão presente na nossa vida cotidiana, que, às vezes, a gente nem nota.

A Matemática é, sem dúvida, uma das áreas de conhecimento mais fascinantes e antigas.

Acredita-se que ela tenha surgido antes mesmo da escrita e suas aplicações concretas impulsionaram o desenvolvimento da humanidade desde as primeiras civilizações por meio do manejo de plantações e medição de terra, registro do tempo e comércio.

Ela atravessou não só o tempo, como também o espaço. Gregos, muçulmanos, egípcios e chineses na antiguidade e na atualidade, todos nós estudamos e usamos a Matemática em nosso benefício. Ela é um instrumento para facilitar a vida e não o bicho-papão como grande parte das pessoas pensa ser.

O estudo da Matemática começou de maneira mais simples com os números, naturais, inteiros e operações aritméticas e todos os povos desenvolveram suas próprias formas de contar números. Pode parecer exagero, mas não é: o “zero” é umas das maiores e mais importantes invenções da mente humana!

A partir daí, suas aplicações foram se multiplicando e se tornando mais complexas como na Álgebra, Geometria, Trigonometria, Porcentagem, Estatística, Topologia, Teoria dos jogos, dentre outras.

Passaram a auxiliar nas construções civis, na Engenharia e na Arquitetura; cálculos financeiros, estabelecendo novas economias em todo o planeta. A Teoria da Evolução – que trata da seleção natural das espécies – só pode ser desenvolvida com o uso da matemática. Sem ela, seria impossível a criação de computadores. Desde os primeiros que funcionavam a válvula, até aqueles com tecnologia de ponta.

Como você pode ver, a presença e os benefícios da Matemática no nosso dia a dia são incalculáveis e ela está em toda parte. Descubra como ela impacta diretamente em vários aspectos da sua vida.

valdivinomatematico

Aprendendo equação de 1º grau e expressão algébrica com objetos ilustrativos – Método X Y Z

Método X Y Z criado pelo Matemático Valdivino Sousa na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT, foi tema de palestra sobre: Engenharia Didática em Educação Matemática – um jeito diferente de aprender Matemática.

A produção cientifica no país, da educação à economia, e principalmente para falar e desmistificar a Matemática como ela está presente em tudo foi um destaque pelo MEC, algo interessante de divulgar essa mãe de todas as ciências que é a Matemática.

Com aplicação da Engenharia Didática em Matemática podemos trabalhar em sala de aula vários temas de Matemática.

“Por exemplo, sendo a equação: 2x + 4 = 8, onde 2x pode representar várias coisas, como duas laranjas, duas maçãs etc. Observamos que na Engenharia Didática em Matemática há concentração diferente, mostrando ao aluno o passo a passo até o resultado”. Explica o Matemático Valdivino Sousa

Geoff Smith é um matemático Britânico presidente da Olimpíada Internacional de Matemática e veio ao Rio comandar o evento, realizado na Barra da Tijuca

matematicavaldivinosousa

“Muita coisa é descrita por números. Por isso, compreendê-los é uma habilidade essencial para a vida”, diz o matemático.

“Sou professor da Universidade de Bath, no Reino Unido, e estou à frente da Olimpíada Internacional de Matemática, competição com jovens de 111 países. Meu mandato começou em 2014 e termina em 2018. O número de alunos e nações participantes mostra como falamos de uma disciplina cada vez mais importante.”

Conte algo que não sei.

Um conhecimento básico de matemática é fundamental para que não sejamos enganados por ninguém e consigamos entender o que acontece no mundo. Muita coisa é descrita por números. Por isso, compreendê-los é uma habilidade essencial para a vida.

Isso é válido até para pessoas de profissões não relacionadas às ciências exatas?

Claro. Um jornalista, por exemplo, lida com muitas informações, que devem ser processadas e compreendidas. Também posso mencionar o futebol. Quando vamos ao bar, todos querem opinar sobre os times, mas é possível fazer isso com base científica. Você pode entender melhor o esporte analisando estatísticas sobre os jogadores: quantos metros ele corre, quantas vezes toca na bola, quantos passes são corretos. O mesmo se aplica a todas as áreas.

Muitos acham que a matemática se limita à solução de problemas propostos muito tempo atrás. Concorda?

A matemática tem processo semelhante ao da linguística — quando se faz uma pergunta, há diversas respostas possíveis, e elas variam de acordo com o assunto que abordamos. Na matemática pura, campo a que me dedico, ainda há um grande número de questionamentos sem respostas, e isso é um fenômeno crescente. Cerca de 70 anos atrás, o matemático britânico G. H. Hardy argumentou que existem aspectos em nossa área que não podem ser aplicados. Ele estava errado. Citou teorias que serviram como base para a criação de caixas eletrônicos e a transmissão de informações com segurança. Terroristas também se beneficiam desses princípios para sua comunicação. Por isso, os governos contratam cada vez mais profissionais para tentar decifrar essas mensagens.

A matemática tem papel central em nossas vidas.

Como o senhor avalia o ensino e a pesquisa de matemática no Brasil?

O país costuma ter bom desempenho nas competições internacionais. Vocês têm o Artur Ávila, vencedor da Medalha Fields (considerada o Nobel da Matemática) e uma instituição reconhecida internacionalmente, o Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa).

Na Olimpíada deste ano, apenas 10% das participantes eram mulheres. Por que um percentual tão baixo?

Não sei. Mas estamos tentando mudar esta situação. Em 2012, foi criada a Olimpíada Europeia de Matemática para Meninas. Em 2018, vão participar 50 países. É uma forma de encorajá-las para que invistam nesta opção profissional. Mas deixo as respostas para educadores, psicólogos e cientistas sociais.

O que aconteceu com o Brasil na Olimpíada? Terminou em 37º lugar, 22 posições abaixo da registrada em 2016.

Não acredito que seja motivo de preocupação. O Brasil foi excelente nas duas questões mais fáceis. Mas esta prova, que tem seis questões, deve ter sido a mais difícil da História da Olimpíada. Acho que o país voltará em breve às primeiras posições.

Os participantes da olimpíada são adolescentes que nasceram em um planeta conectado à internet. O que podemos esperar desta geração?

Espero mais sucesso. É particularmente maravilhoso que os competidores possam se conhecer tão jovens. Alguns manterão contato pelo resto da vida. Essa é uma das razões para incluirmos mais mulheres. A interação e a conversa entre esses talentos é muito saudável.

Segundo o pesquisador Valdivino Sousa a “Matemática é, sem dúvida, uma das áreas de conhecimento mais fascinantes e antigas”.

Acredita-se que ela tenha surgido antes mesmo da escrita e suas aplicações concretas impulsionaram o desenvolvimento da humanidade desde as primeiras civilizações por meio do manejo de plantações e medição de terra, registro do tempo e comércio.

Ela atravessou não só o tempo, como também o espaço. Gregos, muçulmanos, egípcios e chineses na antiguidade e na atualidade, todos nós estudamos e usamos a Matemática em nosso benefício. Ela é um instrumento para facilitar a vida e não o bicho-papão como grande parte das pessoas pensa ser.

Ele ressalta que “O estudo da Matemática começou de maneira mais simples com os números, naturais, inteiros e operações aritméticas e todos os povos desenvolveram suas próprias formas de contar números. Pode parecer exagero, mas não é: o “zero” é umas das maiores e mais importantes invenções da mente humana”.

A partir daí, suas aplicações foram se multiplicando e se tornando mais complexas como na Álgebra, Geometria, Trigonometria, Porcentagem, Estatística, Topologia, Teoria dos jogos, dentre outras.

Passaram a auxiliar nas construções civis, na Engenharia e na Arquitetura; cálculos financeiros, estabelecendo novas economias em todo o planeta.

A Teoria da Evolução – que trata da seleção natural das espécies – só pode ser desenvolvida com o uso da matemática. Sem ela, seria impossível a criação de computadores. Desde os primeiros que funcionavam a válvula, até aqueles com tecnologia de ponta.

Como você pode ver, a presença e os benefícios da Matemática no nosso dia a dia são incalculáveis e ela está em toda parte. Descubra como ela impacta diretamente em vários aspectos da sua vida:

Related Post

Comments

comments

É Professor, Matemático, Pedagogo, Psicopedagogo, Contador, Bacharel em Direito e Escritor. Pesquisador sobre Engenharia Didática em Educação Matemática; Modelagem; Construção do Conhecimento em Matemática; Modelos Matemáticos e suas Aplicações na vida real. Criou o método X Y e Z que facilita na aprendizagem de equação e expressão algébrica com objetos ilustrativos. Docente nos cursos de Matemática, Ciências Contábeis, Administração e Engenharia. Autor de mais de 10 (dez) livros e têm vários artigos publicados em revistas e jornais especializados. Semanalmente escreve para o portal D.Dez, Jornal da Cidade e Folha Online. Sobre: Educação Matemática e Desenvolvimento da Aprendizagem. Site: www.valdivinosousa.mat.br E-mail: valdivinosousa.mat@gmail.com Telefone Celular / Whatsap: 11 - 9.9608-3728

Publicado em Artigos, Contabilidade, Educação Matemática, Engenharia Didática em Matemática, Notícias, Valdivino Sousa, Valdivino Sousa na Mídia Marcado com: , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*